Saiba como fazer uma boa proposta de tratamento odontológico para um paciente

6 minutos para ler

Uma realidade nos atendimentos em saúde como um todo é a baixa adesão aos tratamentos propostos. Diante disso, levanta-se um questionamento importante: o que leva um paciente a buscar atendimento, mas nem sempre seguir com a conduta indicada?

Com dentistas isso não é diferente e em diversos casos a proposta de tratamento odontológico não é aceita. Já adiantamos para você uma informação importante: nem sempre o preço é determinante para adesão!

Sendo assim, o que mais poderia impactar nesse momento tão importante? Para esclarecer essa dúvida, vamos esclarecer melhor sobre a proposta de tratamento odontológico e dar dicas para aumentar a continuidade dos seus pacientes. Confira!

Chave para o sucesso: boa proposta de tratamento odontológico

Como dito, não é apenas o preço do tratamento que acarreta na descontinuidade. Na verdade, todos os aspectos de uma consulta podem impactar nessa escolha do paciente, desde o agendamento até o atendimento de fato.

Uma pessoa que tenha sofrido dificuldades para encontrar um horário adequado, que tenha passado por um longo período de espera na recepção ou que tenha sido desrespeitado de alguma forma, sem dúvidas, reduz as suas chances de retorno ou mesmo de aceitar ao tratamento proposto.

Portanto, são várias as esferas que devem ser analisadas, além do momento de propor o tratamento em si. Dois fatores fundamentais que influenciam nisso é a impressão que o paciente tem do serviço e a confiança estabelecida com o profissional.

Sendo assim, como seguir as recomendações de uma pessoa que não há confiança? Ou como adotar o tratamento de um local que não correspondeu às expectativas? Diante dessa reflexão, faça um levantamento crítico de pontos que podem prejudicar nos fatores citados.

Driblando as barreiras: dicas essenciais para fazer a proposta

Sem dúvidas, a análise do negócio como um todo contribui para encontrar falhas que podem prejudicar a experiência do paciente. No entanto, existem dicas práticas e bem objetivas para melhorar a proposta de tratamento Veja abaixo!

Diagnóstico preciso

Quando um paciente busca por ajuda, ele quer obter uma resposta: o que está acometendo a saúde bucal? Para corresponder às expectativas, o profissional deve contar com capacidade intelectual e material a fim de realizar um diagnóstico preciso.

No primeiro aspecto, a formação acadêmica deve ser complementada pela atualização dos conhecimentos, seja por meio de congressos, atualizações de diretrizes e leitura de artigos confiáveis.

Além do mais, é preciso investir em tecnologia. Constantemente são lançados produtos mais capacitados em oferecer um diagnóstico preciso e é importante para o profissional investir naqueles que de fato vão agregar valor ao serviço prestado.

Esclarecimento de dúvidas

Para um especialista no assunto, todo o raciocínio elaborado durante o tratamento parece muito consistente. Por meio de sinais, sintomas e evidências, o dentista chega em uma hipótese diagnóstica e, consequentemente, propõe o tratamento mais adequado.

Entretanto, nem sempre isso é tangível para o paciente. Tudo o que ele sabe é que tem um problema e que precisa resolvê-lo. Desse modo, ajudá-lo a entender o que está sendo proposto e o porquê de ter sido a conduta escolhida é fundamental para aumentar a adesão do indivíduo ao tratamento.

Sendo assim, procure explicar o seu ponto de vista sobre o caso com uma linguagem compatível à do paciente. Assim, você o inclui no próprio tratamento, uma ação fundamental para adesão e sucesso da conduta.

Consulta personalizada

As pessoas são diferentes umas das outras. É uma constatação simples e óbvia, mas que deve ser reforçada em um sistema cuja percepção de saúde e doença ainda gera debate.

Durante muito tempo os profissionais de saúde foram capacitados para tratar unicamente as doenças, compreendendo toda a fisiopatologia e propondo intervenções. Isso é importante? Sim! Contudo, mais importante que isso, é identificar o indivíduo por trás da doença.

Portanto, busque entender o contexto do paciente, seus anseios, seus questionamentos e seu contexto socioeconômico. O motivo para a não adesão da proposta de tratamento odontológico pode estar contido nesses aspectos, os quais são muitas vezes negligenciados.

Identificação de empecilhos

Nós vimos que compreender o paciente como pessoa e não apenas como doença pode ser determinante para realizar a proposta de tratamento. Reforçamos, então, a necessidade de identificar possíveis empecilhos para adoção da conduta.

Será que a pessoa não quer realizar por medo? Ou ela esperava de ouvir uma outra proposta e foi pega desprevenido? Será que ela precisa apenas de um tempo para pensar? Ou será que o preço vai além das condições?

É importante que o dentista reflita sobre cada uma dessas questões, pois, na maioria das vezes, são de fácil solução. Seja utilizando palavras mais tangíveis, oferecendo uma alternativa à apresentada ou disponibilizando diferentes formas de pagamento, é possível ajudar na adesão ao tratamento.

Benefícios do tratamento

Por fim, destaque os benefícios que a pessoa terá ao adotar a proposta feita. Busque esclarecer tanto a curto prazo como também a longo. Assim, ela saberá qual expectativa depositar no tratamento.

Complementando, é importante mencionar garantias. Como o indivíduo sabe que o sucesso é assegurado? Nesse momento, contenha as promessas e evidencie as vantagens de cada proposta.

Apresentação da proposta: momento certo e forma eficiente

Diante das dicas apresentadas, você percebe que cada passo é determinante para a escolha do paciente. Até então, traçamos o caminho ideal, mas ainda não falamos sobre a proposta em si.

Chegou então o momento de realizar a proposta. Essa deve ser a última ação, após os esclarecimentos e a apresentação dos benefícios. Mais que um tratamento, a pessoa deve perceber que está investindo no próprio bem-estar.

Com essa percepção, ela entende que não está adquirindo um produto ou serviço, mas dando um passo em direção à melhora da saúde. Isso vai muito além do preço, pois retrata o cuidado em saúde que alguém espera e busca receber.

Concluímos, enfim, que para a proposta de tratamento odontológico devem ser considerados aspectos não só da consulta, mas de todo o consultório. Dessa forma, é possível oferecer um atendimento humanizado e que favorece a adesão ao tratamento. Além disso, essa análise viabiliza a identificação de lacunas que podem estar prejudicando a imagem dos pacientes sobre o seu trabalho e, consequentemente, permite a adoção de medidas para melhorar tais aspectos.

Gostou deste post? Agora que você sabe como garantir a continuidade de um paciente, que tal ver algumas dicas de marketing para atrair novos clientes?

Posts relacionados