Conheça a história da implantodontia e sua evolução

6 minutos para ler

Os implantes dentários são um dos serviços mais procurados atualmente nos consultórios odontológicos. Eles devolvem a capacidade mastigatória, além terem uma função estética, contribuindo para a autoestima dos pacientes. Apesar de as técnicas atuais serem relativamente recentes, a história da implantodontia pode ser considerada bem antiga.

Afinal, existem registros bem antigos em povos tradicionais de materiais inorgânicos usados para a reabilitação oral. Isso demonstra que a área já desperta o interesse das pessoas desde muito tempo. A diferença é que os métodos evoluíram bastante, como resultado de muita pesquisa e inovação.

De todo modo, vale a pena conhecer mais sobre essa especialidade da odontologia em plena ascensão. Neste artigo contamos um pouco mais sobre a história da implantodontia e mostramos como ela deve se desenvolver nos próximos anos. Acompanhe!

A origem dos implantes

A higiene bucal faz parte da história da própria humanidade. No caso das próteses dentárias, elas foram usadas pelos Fenícios e pelos Etruscos, que viveram a cerca de 4.000 a.C. Laminações bem fundidas foram encontradas em escavações em terras que antes viviam essas civilizações antigas.

Posteriormente, foram encontrados sinais do uso de próteses em sítios arqueológicos Maias, Romanos e Egípcios. Também foram achadas próteses de madeira, ossos e até mesmo dentes humanos e de animais no Japão no século XVIII. No entanto, nenhuma dessas técnicas representava um registro de aperfeiçoamento odontológico, que só viria a ocorrer, de fato, no século XX.

O surgimento da implantodontia 

Podemos dizer que a implantodontia moderna teve início no fim da década de 1960. Em 1969, o pesquisador sueco Per Ingvar Branemark divulgou os resultados de um estudo sobre osseointegração, que posteriormente serviria de base para as técnicas de implantes. Ele fez experiências inserindo placas de titânio na fíbula de coelhos, notando que depois de um tempo o metal estava integrado ao osso dos animais.

Depois de 8 anos, em 1977 foi estabelecido o protocolo de Bränemark, em que foi comprovado que os implantes permaneceram funcionais por muito tempo. No entanto, os resultados só foram divulgados internacionalmente em 1982, iniciando o ciclo dos procedimentos em seres humanos e novas pesquisas.

História da implantodontia no Brasil

O primeiro implante foi realizado no Brasil no ano de 1987. O cirurgião-dentista Júlio Cézar Sá Ferreira reproduziu o protocolo de Bränemark, começando a difundir a técnica pelo país ainda em caráter experimental. Em 1990 ocorreu um marco na história da implantodontia brasileira. O Conselho Federal de Odontologia (CFO) reconheceu à área como a especialidade.

Nessa época a preocupação maior dos profissionais era a osseointegração e, por isso, os implantes ainda não tinham uma preocupação estética. Os procedimentos também demoravam muito tempo, apesar de serem muito bem-sucedidos. Como não havia profissionais especializados na área, os implantes eram feitos por especialistas em cirurgia bucomaxilofacial ou periodontia.

A especialidade foi finalmente consolidada no país em 2005, pela Resolução CFO nº 63/2005. A norma definiu a especialidade como sendo a responsável pela realização de implantes mandibulares e maxilares, com o uso de materiais aloplásticos para o suporte de próteses parciais, removíveis ou totais.

Entre as funções reconhecidas pelo CFO para o especialista em implantodontia, podemos destacar:

  • diagnóstico das condições físicas das estruturas ósseas, de suporte dos dentes e das mucosas bucais;
  • investigação de técnicas em laboratório para a melhoria da implantação de próteses;
  • realização de procedimentos cirúrgicos para a colocação de implantes;
  • manutenção e acompanhamento;
  • aplicação de enxertos nos ossos e nas gengivas para o recebimento de implantes.

Com o tempo, o interesse do público e dos profissionais pela área exigiu que as empresas criassem materiais cada vez mais resistentes e que tivessem uma maior preocupação estética. As inovações da indústria e de inúmeras pesquisas fizeram com que o país se tornasse hoje uma referência em implantodontia pelo mundo.

Cenário atual dos implantes

A história da implantodontia foi muito importante para o desenvolvimento de outras especialidades, como a cirurgia, a periodontia e a prótese. Isso porque as novas técnicas favoreceram a recuperação e a preservação dos tecidos da gengiva e da boca como um todo. Além disso, incentivou o investimento na fabricação de materiais biocompatíveis em larga escala, que são usados em todos os tipos de procedimentos odontológicos.

De fato, a tecnologia tem permitido grandes avanços, com a criação de componentes, conexões e outros materiais com excelente qualidade e durabilidade. Modernos exames de imagem, como a tomografia computadorizada, e o uso de softwares, permitem a visualização detalhada da região a ser implantada, ajudando o especialista a planejar melhor a colocação do implante. Inclusive, a especialidade é conhecida como uma das mais tecnológicas da odontologia.

Atualmente, em muitos casos já é possível colocar o implante e a prótese no mesmo dia, devolvendo a capacidade de mastigação do paciente de imediato. O uso de técnicas e equipamentos modernos permite a realização de um procedimento sem corte, sem dor ou sangramentos. A recuperação do paciente é muito rápida e o implante bem resistente.

Essa evolução ocorreu para atender um público cada vez mais exigente, principalmente em relação à estética. Antes era necessário esperar alguns meses entre a fase de osseointegração e a colocação da prótese. Hoje acontece a ativação imediata, com o paciente recuperando um sorriso bonito rapidamente. Sem contar que o desenvolvimento da área viabilizou a realização do tratamento, que se tornou bem mais acessível.

Para os próximos anos, a expectativa é de que os implantes dentários se tornem ainda mais populares, aumentando a procura por esse tipo de procedimento. Novas técnicas e materiais também devem contribuir para uma melhor estética em torno do implante e da gengiva, tornando os implantes ainda mais eficientes na recuperação da mastigação e de um sorriso bonito aos pacientes.

A História da implantodontia demonstra que a especialidade ainda tem muito potencial para evoluir. Por isso ela é uma opção muito interessante para os profissionais que desejam crescer na odontologia e conquistar cada vez mais espaço no mercado. Vale a pena se capacitar e investir nessa área!

Gostou de conhecer a história da implantodontia? Quer conferir mais conteúdos sobre a área? Então, siga-nos no Facebook, no LinkedIn, no Instagram, no YouTube e no Twitter e acompanhe todas as novidades!

Posts relacionados