Fluxo digital dá rapidez e precisão para a produção de próteses

3 minutos para ler

O que você diria se a reabilitação oral pudesse ser feita com muito mais precisão, velocidade e, de quebra, todo o processo pudesse ser repetido facilmente se necessário? Pois é exatamente isto o que o fluxo digital com o sistema CAD/CAM (Computer Aided Design / Computer Aided Manufacturing) possibilita. Tanto que o uso dele teve um crescimento de quase 16% na América Latina. Continue a leitura para saber de que maneira o fluxo digital com o sistema CAD/CAM consegue fazer tudo isso.

Ganhar escala na reabilitação oral, um dos desafios na odontologia.

No Brasil, 45% das pessoas entre 65 e 74 anos têm um índice alto de dentes perdidos, cariados e obturados. Porém, apesar da grande demanda, a reabilitação oral de quem perdeu dentes ainda é um processo demorado e artesanal, feito de forma analógica por cerca de 95% dos cirurgiões-dentistas, o que pode exigir vários ajustes dependendo da situação. O resultado é que:

  • O paciente precisa retornar mais vezes;
  • O profissional acaba dedicando muito tempo a um mesmo caso;
  • Torna-se inviável aumentar o número de atendimentos.

O que é o fluxo digital na odontologia?

O fluxo digital na odontologia é, basicamente, o planejamento da reabilitação bucal do paciente e a confecção de uma prótese com o auxílio de softwares CAD/CAM depois que o implante foi colocado cirurgicamente no paciente. O projeto e a confecção da prótese que será aplicada é feito da seguinte forma:

  1. Digitalização – as estruturas bucais do paciente são digitalizadas, o que pode ser feito no próprio consultório se o profissional possuir um escâner intraoral. Caso contrário, ele pode fazer um molde com um material especifico de moldagem e enviá-lo para ser digitalizado em um laboratório com escâner de bancada.
  2. Desenho – a partir da estrutura bucal digitalizada, usando um software específico, um técnico desenha em 3D, por exemplo, o dente ou a prótese que deve ser produzida.
  3. Fresagem – em seguida, a prótese é confeccionada em uma fresadora controlada por um software que interpreta o desenho em 3D, que desgasta um bloco de material até ele ficar na forma projetada. As fresadoras podem ser industriais, que têm alta capacidade de produção, e de bancada, que têm uma capacidade menor e podem ser adquiridas por laboratórios de próteses ou pelo cirurgião-dentista.
  4. Finalização – compreende as diversas etapas para a conclusão da prótese inerentes à estrutura do laboratório e à qualidade do trabalho.

Quais são os benefícios do fluxo digital na odontologia?

O sistema CAD/CAM tem uma importância fundamental para a longa duração tanto do implante quanto da prótese. A precisão do resultado da prótese e a utilização de interface para ligá-la ao implante impedem a formação de microlacunas, o que impossibilita a infiltração de organismos que causam infecções. E também impedem que surjam tensões desfavoráveis, que podem prejudicar a funcionalidade e a duração. Além disso, o fluxo digital em odontologia com sistema CAD/CAM permite:

  • Maior precisão devido à digitalização das estruturas bucais;
  • Rapidez do processo;
  • Fácil repetição do processo caso seja necessário.
Posts relacionados

Deixe um comentário